Category: Uncategorized

And we´re back!

Terribly jetlagged but very happy with the time in Australia. It was full of adventures and new experiences, good food (realized Australians do a good job when it comes to fish, and this is saying something since I´m veeeeeeeeery tough to please on the fish department), koala cuddling and kangaroo feeding.

Despite the jetlag and its effects (my body takes it time to adapt itself), I feel rested and energized and will soon show some new work finished.

I´m happy to be back!

*

Apesar do cansaço provocado pelo jetlag, tanto para lá, como para cá, as semanas na Austrália foram maravilhosas, cheias de aventuras e novas experiências, com muitos miminhos a koalas e a cangurus. Embora cansada, estou cheia de energia para o regresso ao trabalho!

Caminito, Buenos Aires

Being camera-less makes me go back to old albums I never got to share. I just uploaded to flickr a series of photos taken with the Lomo camera that some good friends gave us. I love the grain, the texture, the colours and the general lack of sharpness the whole photo has.

It´s so good to go back to being analogical in this digital world.

(The photo was taken in Caminito, here in Buenos Aires.)

*

Uma das vantagens (quiçá a única) de estar sem câmara fotográfica é que acabo por revisitar álbuns antigos, que ainda não partilhei aqui. Carreguei no flickr uma série de fotografias tiradas com a Lomo, máquina que me ofereceram umas amigas que estiveram de visita (chiiii! Há quase um ano…).

Adoro a máquina por ser como um último reduto analógico neste mundo digitalizado…

(A Lomo e o tricot, claro está! Ah, e a fotografia foi tirada no Caminito, aqui em Buenos Aires.)

This is why I want to leave this computer and go outside: we´re enjoying the most beautiful end of summer weather, being warm but not too hot, with beautiful sunshine.

Staying in front of the computer is a test right now: not only because of the weather but also because of my new, sharp eyesight. It´s like I´ve been given a gift and I want to step outside and play with it. I never thought I´d love it so much to stare at those tiny, minuscule numbers and letters that are just so far away down the street – and actually seeing them. This is new for me!

So have a great weekend and pardon me if I´m not so keen on showing work here – it´s just that´s so much to see outside, you know?

Chic Gamine

Costumo ser a última a ouvir falar de novidades musicais e portanto já toda a gente deve conhecer esta pérola com que me encontrei hoje. Estava num podcast que estava a ouvir hoje (“Definitely Not the Opera”, para o caso de não conseguir fazer deste texto uma hiperligação) e fiquei hipnotizada. É que este quinteto não usa instrumentos, só voz e percussão. Chamam-se Chic Gamine e são o máximo. Ora ouçam!

Verdades e mentiras sobre mim

Toda a gente sabe que este é um blog com um elevado grau de palermice e que não costuma ter um conteúdo particularmente interessante. Portanto, até nem vem destoar por aí além o presente post, em que tenho de dizer nove coisas sobre mim, três das quais desavergonhadas mentiras. Foi um desafio lançado pelo Pedro Aniceto, e como ao Pedro Aniceto não se nega nada (pigarreios), aqui vai.

1. Tenho queda para as quedas. Que é como quem diz: quando vejo alguém cair, não consigo (é que não consigo mesmo) evitar uma gargalhada (ou mais). O mesmo se passa quando sou eu a cair: quando vejo o chão perto de mim, dá-me um ataque de riso ao pensar como posso ser tão desastrada ao ponto de perder a vertical.

2. Também tenho queda para as estrelas: aonde quer que vá, encontro sempre alguém famoso. Aqui há uns meses vi o realizador Francis Ford Coppola na Boca, bairro porteño, quando esteve de visita à cidade.

3. Apesar das muitas quedas, nunca parti braços, pernas ou cabeça. Nem sequer um dedinho do pé. Em contrapartida, a minha barriga parece a cara de um pirata das Caraíbas, tal é a quantidade de cicatrizes.

4. O meu baptismo da vida em Buenos Aires foi feito com duas semanas de hospitalização, onde aprendi interessantes expressões em castelhano como dar de cuerpo.

5. Adoro tudo quanto seja desportos radicais e atiro-me sem hesitar de uma ponte em bungee jumping, de um avião em sky diving ou de uma rocha de mais de 12m para uma piscina natural num rio.

6. A minha mãe já foi convidada a sair da igreja (e levar-me com ela) durante a celebração de uma missa. Não sei se faltou a luz ou se fazia parte da celebração, mas as muitas velas acesas levaram-me a cantar os “Parabéns”.

7. Já recebi propostas de prestação de serviços sexuais de uma tailandesa de nome (ou alcunha?) “Bee”, num arranha-céus em Bangkok. A dita senhora adorou sobretudo a coincidência dos nossos nomes e achou que devia ser “coisa do destino”.

8. Nos idos tempos da primária, liguei para o programa de rádio infantil que dava à hora do pequeno-almoço, antes do começo das aulas. À pergunta “gostas da tua professora?”, eu respondi que “nem por isso”. E ela ouviu.

9. No início dos anos noventa, numa qualquer remota aldeia da China rural, propuseram ao meu pai o vantajoso negócio de me trocar por um valioso lote de sete cabras e um serviço completo de jantar em porcelana. O meu pai não aceitou (e pensar que antigamente os pais é que pagavam o dote para se desfazerem das filhas! Deve ser amor…).

As demais regras desta corrente de mentiras e verdades ditam que eu deveria determinar quais são as mentiras do Pedro Aniceto. Furto-me a isso porque já li as respostas (e ainda bem, porque me ri que nem uma perdida – entre verdade e mentira a linha que separa o verosímil do inverosímil é muito ténue).

Mais devo indicar nove pessoas para seguirem esta corrente. Ora Artur, ora Artur, deixa cá ver, deixa-me pensar, tentar não repetir… Pois então os próximos nove a quem passo a batata quente são os autores dos seguintes blogs:

Beautiful stranger
Prainha
Refogado e Hortelã
Dicforte
O pulo e o laranjo
A soma dos dias
Correio Azul
Kafka na Praia
Macau

As soluções, para breve…

A minha camisolinha dos mochos

Ai, vida, até que ponto é que uma pessoa pode gostar de uma camisola que está a tricotar? Hmmm? Pois é. Eu estou apaixonada por esta.

Vêem as agulhas lindas? Presente de aniversário de um Príncipe!

Kung hei fat choi!

Happy Lunar New Year, happy year of the Ox!

I´m back to Buenos Aires and blogging will resume its normal activity very soon (maybe after lunch).

See you then!

*

Feliz Ano Novo Lunar do Búfalo!

Estou de volta a Buenos Aires e a actividade bloguística será retomada proximamente (talvez depois do almoço).

Até lá!

Entre Lisboa, Buenos Aires… e Macau

Time Freeze in Macau

A friend of mine pointed me to this video. This happened in Macau, last week. You may be asking yourself what´s so odd or mentionworrthy about it, and my answer would be “try to find Macau on a map”.

I´m happy to see the city where I lived for nine years, even if it is only through a video.Yay!

"Ceguera"

Na sexta-feira fui ver o filme “Ceguera“, a adaptação cinematográfica do romance “Ensaio sobre a cegueira”, de José Saramago. Para resumir: o realizador, Fernando Meirelles, e restante equipa estão de parabéns pelo magnífico trabalho. O filme é tão potente, tão cru, tão feio, ao mesmo tempo com momentos de extrema beleza e ternura, numa alquimia perfeita. A maneira como são exploradas as relações humanas (coisa que já vinha do livro, obviamente) é de uma simplicidade maravilhosa.

Ah, como é bom poder ver coisas destas!