Destes dias

Sketching in #lisbon, in very good company. Hi Heather, it was lovely to meet you earlier today! @skinnylaminx

*Ler em Português
When I started writing a blog (Entre Lisboa e Buenos Aires, which I started in October 2006, when I first visited Argentina), blogs were very much like an online journal, a space for reflexion, sharing and community building. It was a great exercise in looking, noticing and writing for me, and it was a delight to start making new friends from all over the globe.

As years went by, blogs changed from online journals to income-making devices. And with that, that initial wonder was lost. I speak for myself here: when I realized I needed to use my blog to sell my products and services, I had to shift from writing for pleasure to writing with the aim to sell – and sales are not my strong suit. But the truth is: those who create products and provide services online (very much like me, my Embroidery Club, or even my services as a designer and illustrator) need to mention them on their blogs! If not, no one will know those products or services even exist. I always tried to keep a bit of the former spirit of sharing when writing a post, but I sure missed those days of writing “just because”.

In the past few months, I have noticed that I have shifted from my diligent weekly post to one post whenever possible. In my mind, I have written n posts, sharing with you how blooming jacarandas make me think of my dead baby boy (when we left the funeral home after his service, we found the 24 de Julho Avenue lined with beautiful, vibrant, blooming jacarandas, and I remember thinking that it was the Universe’s way of letting us know that he had been received and embraced and that we should go on living life in joy, and seeing beauty in the small things); or another post in which I share that I started learning cavaquinho (my goal is to be able to accompany a group at a party); or yet another post in which I talk about the shawl I’m knitting with linen I brought from All You Knit is Love in Barcelona; or another where I tell you about two women I met and showed my beautiful hometown: Heather Moore (Skinny LaMinx) and Katie Yamasaki.

But all these posts have been confined to the bottomless drawer that is my brain, because many other things (fortunately all good reasons) have gained central stage in my life. And I definitely don’t feel like writing another sales post.

That’s why, me dear readers, I’m here sharing with you these pieces of my life and telling you that I’m utterly enjoying working on the podcast Anita no Trabalho; I’ve been working for a new client in London, in projects that have stretched my abilities and have brought me immense joy. I have met many new people who have made my world larger, both literally and figuratively, and at the end of the day I run home to be with my daughter, who is now two years old and every day surprises me with a new word (or several). We are now training the “please” in every request. 🙂

I have been more present on Instagram, where I am air_billy in case you want to follow. Over on Anita no Trabalho there’s a new episode dropping every two weeks, and this week we will have Carolina Almeida Cruz talking about social economy. Worth listening (in Portuguese only, apologies!). I’m always available on my embroidery e-course (free and good for every skill level)), and on my Embroidery Club (where each member receives a new embroidery template every first day of the month). I’m planning new knitting workshops for the Fall (and hopefully other courses, too). And, of course, if you need any services in design or illustration, don’t hesitate to let me know.

See you soon!

The shawl is growing, just not fast enough, because #neverenoughshawls

*

Quando comecei a escrever um blog (o Entre Lisboa e Buenos Aires, cujo primeiro post viu a luz no final de Outubro de 2006), o blog era um lugar de reflexão, de partilha de momentos que, por qualquer razão, me chamavam a atenção. Foi um lugar maravilhoso para fazer os meus exercícios de escrita, para ir partilhando as minhas experiências num país tão distante e também para ir construindo uma comunidade com outros bloggers por esse mundo fora.

Com o passar dos anos, os blogs passaram de “diários” a “fontes de rendimento”, e, de alguma forma, aquela magia perdeu-se. Por mim falo: quando percebi que tinha que usar o meu blog para vender os meus produtos e serviços, também tive que transformar o que para mim era um prazer em algo que me custava um pouco a fazer (as vendas não são o meu forte). Mas a verdade é que quem vive de criar produtos e serviços para os vender online (como é o caso do meu Clube de Bordado, ou mesmo dos meus serviços como designer e ilustradora) precisa mesmo de falar neles! Porque senão ninguém sabe que eles existem. A verdade é que sempre me esforcei por manter algum carácter de partilha, mesmo quando falava dos meus produtos, mas as saudades daquela escrita “só porque sim” foram aumentando.

Nos últimos tempos tenho notado que da minha escrita diligente de um post por semana tenho passado a um post quando der. Na minha cabeça, já escrevi n posts em que partilhava convosco que os jacarandás floridos me faziam pensar no meu bebé que morreu (no dia do funeral dele, quando de lá saímos, encontrámos uma Avenida 24 de Julho cheia de jacarandás em flor, e lembro-me de pensar que era a forma de o Universo nos mostrar que o tinha acolhido nos seus braços e que nós tínhamos de continuar a viver a vida com alegria e a apreciar a beleza das coisas pequenas); ou que comecei a aprender a tocar cavaquinho e adorei a sensação de estar a aprender uma coisa nova (o meu objectivo é poder acompanhar quem tem mais jeito, talento e prática do que eu, numa festa, sabendo alguns acordes simples); de falar sobre o xaile que estou a tricotar com linho que trouxe de Barcelona, e que estou quase a acabar; de, no último mês, ter recebido em Lisboa duas pessoas de quem fiquei a gostar (ainda mais!): a Heather Moore (Skinny LaMinx) e a Katie Yamasaki.

Mas todos esses posts têm ficado na gaveta sem fundo que é o meu cérebro, porque outras coisas (felizmente boas) passam à frente. E não me apetece ter de ir escrever mais um post “de vendas”.

Por isso, meus queridos leitores, aqui estou a partilhar convosco estes pedaços da minha vida, a contar-vos que felizmente a Anita no Trabalho (o podcast) me tem trazido muitas alegrias; que tenho tido muito trabalho para um cliente novo que tenho em Londres, trabalho esse que me tem feito esticar as coisas que já sabia e entrar no campo do desconhecido (tão bom). Conto-vos também que tenho conhecido pessoas novas que têm vindo a ampliar o meu mundo, tanto literal como metaforicamente, e que no final do dia vou a correr para casa para ir brincar com a minha marotinha, que já tem dois anos e todos os dias me surpreende com mais umas palavras. Agora andamos a ensaiar o “por favor, querida mãe do meu coração” em todos os pedidos. 🙂

Tenho estado mais presente no Instagram: se me quiserem encontrar por lá, sou a air_billy. Na Anita no Trabalho sai um episódio novo cada duas semanas, e esta semana temos a luminosa Carolina Almeida Cruz, que nos fala sobre economia social. Vale bem a pena ouvir. E estou sempre disponível no Curso de Bordado (que é gratuito e apto para todos), e no Clube de Bordado (onde cada membro recebe uma receita de bordado no primeiro dia de cada mês). Lá para o Outono teremos mais workshops de tricot (e outras novidades). E se precisarem de serviços de design ou ilustração, cá estou eu.

Até breve!

Join our community, start beautifying your life!

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *

CommentLuv badge