Embroidery and relaxation

07_Cristina-at-the-airembroideryclub-03

Ler em português

I’ve been sharing with you details about my relationship with embroidery. Not always a joyful one, I may add (read about how I’m not friends with cross stitch!), it has become an artistic medium where I’m eager to experiment new things.

But I also wanted you to know about the experiences of some of the air Embroidery Club’s members, because I want to share their perspective, too. I’ve told you about my friend Holly and my sister Guida, and today it’s about Cristina I’m going to write.

Cristina is a working mother of three, who received a membership to the Club as a gift. It was delightful to “meet” her (virtually) and to talk to her. When she joined, she says, she knew almost nothing about embroidery and that her experience was a few projects with cross stitch a few years back. She immediately took floss and needle in hand and started stitching, and soon after I started to receive pictures of her projects. I loved it!

She tells me that embroidery is her moment of peace, quiet and zen, and that every time she finishes one of the monthly projects she feels happy and proud, with a sense of achievement. I couldn’t be happier for her, because that’s a great feeling, isn’t it?

When I created the air Embroidery Club, I was far from imagining the way it would impact others. I had a vague idea that it would be fun to stitch following a design, very much like playing with crayons when coloring a book. But I had no idea that this feeling of wellbeing would have other ramifications, like finding out that what we thought was impossible is, after all, possible. That we can, indeed, take this project to the end. We feel empowered and immediately want to go farther, to test new waters, to try new things. As Cristina says, she now feels she’s more inspired and curious to try other techniques and maybe even crafts, something she didn’t feel before joining the Club.

So let me extend the invitation to you, dear reader. Come join us over at the air Embroidery Club and see what it’s all about. Come connect with a group of lovely people who, like you, crave some quiet time with a project in hands. Come feel the sense of achievement when you complete your projects and challenge yourself further when next month’s project lands in your inbox. Come join us! We can’t wait to have you there.

All pictures in this post are by Cristina, of her projects. Thank you for letting me use them, Cristina! P.S. Don’t you love the scissors?  

 

*
07_Cristina-at-the-airembroideryclub-01

07_Cristina-at-the-airembroideryclub-02

Nas últimas semanas tenho partilhado convosco um pouco da minha relação com o bordado. Nem sempre uma relação feliz (vide post sobre ponto cruz durante o liceu!), tem vindo a desabrochar e, cada vez mais, considero que o bordado é um campo que tenho vontade de explorar e onde tenho cada vez mais curiosidade de experimentar técnicas e materiais novos.

Para além da minha experiência, também quero aqui partilhar a experiência de alguns membros do Clube de Bordado air, pois me parece interessante mostrar a perspectiva “do outro lado”. Já vos falei da minha amiga Holly e da minha irmã Guida, e hoje é sobre a Cristina que vos vou falar.

A Cristina é mãe de três crianças pequenas e trabalha a tempo inteiro. Recebeu de presente uma assinatura do Clube e foi aí que nos conhecemos. A Cristina conta que quando entrou no Clube os seus conhecimentos de bordado eram nulos, e que só tinha feito alguns projectos em ponto cruz. A Cristina pegou imediatamente na agulha e na linha e avançou, sem medo, projecto fora. Uns dias mais tarde comecei a receber fotografias dos seus bordados. Adorei!

Conta-me a Cristina que o bordado é o seu momento de relaxamento, de meditação. E que de cada vez que termina um bordado se sente realizada, com a sensação de prova superada. Não podia estar mais feliz por ela: sentir-se realizada é maravilhoso, não é?

Quando criei o Clube de Bordado air, estava longe de imaginar a forma como ele iria ter impacto na vida de todos nós. Tinha uma vaga ideia de que seria divertido ter um desenho em mãos para ir bordando, um pouco como ir pintando páginas de um livro de colorir. Mas não imaginava que esta sensação de bem-estar teria ramificações como a descoberta de que aquilo que se pensava ser impossível é, afinal, possível. Também não sonhava que seria maravilhoso terminar um projecto, sentir que, a pouco e pouco, se tinha trabalhado para se chegar ao fim, e que o fim não era mais que o culminar de uma série de pequenos avanços. E que a partir daí se deseja mais: como me contou a Cristina, agora sente-se mais inspirada e curiosa por experimentar outras técnicas, algo que não sentia antes de aderir ao Clube.

Por isso, deixem-me que vos faça o convite de se juntarem a nós, no Clube de Bordado. Venha conhecer um grupo de pessoas que gosta de bordar mas que gosta, sobretudo, de conhecer e contactar com outras pessoas e saber que estão todas a passar por um processo semelhante. Venha sentir o desafio, e sentir que o pode superar. Junte-se a nós, vai ser divertido!

Todas as imagens deste post são da Cristina, de projectos seus. Obrigada, Cristina! P.S. Não adoram a tesoura?

Join our community, start beautifying your life!

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *

CommentLuv badge