Month: January 2013

New year, new pattern!

New pattern!

Hello everyone! Happy 2013!

I’m happy to be back from a wonderful winter break – first in Chicago and then west to Vancouver and Whistler. I’m feeling energized and full of ideas for new projects this year. How about you?

Here’s a pattern, directly from some doodles on my sketchbook. How would you use it?

Stay warm and dry if you’re north; stay cool if you are south. If you are here in Panama, enjoy the brief dry season!

A Golden Gate

Uma das experiências mais fantásticas do ano – lá perto da subida ao vulcão Acatenango, na Guatemala – foi passar a histórica ponte Golden Gate de bicicleta.

São Francisco é uma cidade de colinas, tal como a nossa querida Lisboa, mas isso não impede que haja muitos ciclistas, e cada vez mais turistas a optar pela bicicleta como forma de se moverem na cidade. Há várias lojas especializadas no aluguer de bicicletas a quem não conhece a cidade e quer, precisamente, ver a ponte de perto. Assim fizemos: olhámos pela janela do quarto, o dia estava bonito, não estava calor, estava até um pouco fresco, o que seria ideal.

IMG_1956

Descobrimos nesse dia que a ponte é, de facto, garota tímida e que o mais provável é estar envolta em nevoeiro, mesmo quando há céu azulíssimo por todos os lados. E sabem o que há dentro do nevoeiro? Frio. Muito. E água, água que por acaso ficou pousada sobre as fibras do meu querido casaco tricotado à mão.

IMG_1935

IMG_1957

O acesso à ponte é fácil, está bem indicado, e da cidade passamos a ciclovias numa zona chamada Crissy Field, que outrora foi uma base aérea militar, com pista de aterragem e tudo (daí ser uma faixa fina ao longo da costa) e que hoje é um parque natural urbano. Vêem-se pessoas na pequena praia contígua, gente com papagaios de papel, muitos desportistas.

IMG_1960

Já mais perto da ponte, passámos do azul quase estival para um cinzento invernoso, frio e molhado. Enfrentámos a nuvem e a subida e chegámos ao tabuleiro da ponte, onde circulámos no passeio que nos competia. No sentido sul-norte, fomos pelo passeio do lado este, que partilhámos com peões. Já no regresso, imposição horária, regressámos pelo passeio oeste, onde só circulam bicicletas.

IMG_1970

Foi uma emoção passar a ponte e não resisti a parar algumas vezes para tirar fotografias.

IMG_1973

Do outro lado, um miradouro com uma vista linda sobre a cidade de São Francisco, que naquele momento também se decidiu esconder atrás do nevoeiro. Linda, na mesma, porque aquele manto branco só lhe aumentou o charme e a aura de mistério.

Hello, San Francisco!

IMG_1985

IMG_2000

IMG_1967

Deixámos o sol lindo que banhava a margem norte da ponte e o miradouro e voltámos a penetrar a nuvem, para regressarmos à margem sul – e à cidade. Na descida dos acessos, tivemos de parar na Warming Hut, uma casinha com um pequeno café e uma loja – giríssima, tudo em São Francisco é giro, que podemos fazer? – para nos aquecermos.

IMG_2021

IMG_2028

Dali continuámos o passeio, desfrutámos as paisagens lindas e várias dores musculares mais tarde entregámos as bicicletas. Nessa noite, caríssimos leitores, já só conseguimos andar de táxi.

São Francisco

Depois de Orlando, voámos até São Francisco, cidade que me conquistou completamente.

No primeiro dia em que lá estivemos, fomos brindados com um magnífico céu azul, sem nevoeiro. Quem visitou sabe que a famosa ponte Golden Gate, a irmã mais velha da nossa querida 25 de Abril, se costuma esconder pudicamente debaixo de um manto branco. Pois naquele dia, não. Estava linda, linda e desavergonhadamente vermelha contra o céu azulão de Outono.

IMG_1845_2
Na baía, à direita, Alcatraz; à esquerda, a Golden Gate, a entrada dourada para a baía de São Francisco.

IMG_1811

IMG_1820

IMG_1816
Em Chinatown viajei no tempo até à minha adolescência em Macau.

IMG_1825

IMG_1822

IMG_1824

IMG_1823

IMG_1826
Não sei se se entende bem o fascínio que uma cidade cheia de desenhos e de letras pode suscitar a uma ilustradora e designer gráfica… Não conseguia parar de tirar fotografias, e estas que aqui vêem são apenas uma breve e concisa selecção.

IMG_1829
A Coit Tower sobre a colina.

IMG_1850

IMG_1833
Ei-la. Erguida como forma de agradecimento à cidade e aos bombeiros locais, a Coit Tower foi a primeira torre a ser erguida na cidade e, apesar de não ser a mais alta, é a mais alta ali da zona. Lá dentro, está toda decorada com murais encomendados a vários pintores, alguns muito revolucionários. Mais informação sobre a torre aqui.

IMG_1848
Vista de lá de cima, a Golden Gate, ao longe, sem nevoeiro. Ao longe, consegue ver-se a porção de Lombard Street às curvinhas (a parte de rua totalmente arborizada). Com os seus canteiros lindos, a rua é realmente apetecível. Talvez só não para viver.

Nesse dia aproveitámos para andar a pé pelas ruas da cidade, subimos e descemos, entrámos por Chinatown e continuámos, subimos à Coit Tower e tivemos uma panorâmica maravilhosa. Ao certo, não sei quantos quilómetros andámos, mas foram muitos.

IMG_1862
Eis a vista oposta à anterior, em que estamos no cimo de Lombard Street e olhamos para a Coit Tower. Estão a vê-la?

Depois da Coit Tower seguimos pela Lombard Street até chegar à porção das voltinhas, assim desenhada para resolver a questão da extrema inclinação da rua, qual esquiador inexperiente (eu, portanto).

IMG_1866

IMG_1855

Daí continuámos o nosso passeio em direcção ao cais, evitando cuidadosamente o Fishermen’s Wharf. Que dizer? É uma imensa armadilha para turistas, zona cheia de lojas de recordações originais da Califórnia, feitas na China. Mas dirigimo-nos portanto para o cais, e daí na direcção da Golden Gate. Vimos gente a nadar numa pequena praia, a treinar de fato isotérmico completo. Não é que estivesse frio naquele dia, mas a água estava gelada, claro, afinal é o Pacífico que ali chega, e estávamos no fim de Outubro.

IMG_1869

IMG_1884
Este edifício, antes um balneário para marinheiros, hoje um espaço público, fez-me lembrar a nossa Estação Marítima de Alcântara.

Depois voltamos a afastar-nos do mar e a entrar pela cidade adentro, e aí começou a chegar o danado do nevoeiro, e com ele um frio cortante. Subimos pela Polk Street, que nos levou através do bairro Russian Hill e nos presenteou com muitas letras bonitas, montras lindas e cafés cheios de gente.

IMG_1886

IMG_1891

IMG_1893

Nessa noite, os San Francisco Giants jogavam uma partida decisiva de baseball e, se ganhassem, seriam os campeões da “World” Series. As minhas aspas na palavra World são irónicas, claro, porque este é um campeonato que se confina a uma parte do mundo que se situa na América do Norte, apesar de se chamar de “mundial”. Há que sorrir sempre.

Os SF Giants ganharam, claro, e foi entre curiosidade e algum receio que vimos o início dos festejos. Depois, retirámo-nos alegremente para o quarto. No dia seguinte ficámos a saber que até um autocarro tinha sido queimado…

Mundialices locais à parte, o dia foi excelente, com um tempo não só maravilhoso como também excepcional, como ficámos a saber logo no dia seguinte. Mas isso fica para o próximo post!

Mais fotos aqui.

Bom ano novo!

2013 já chegou e cada vez estou mais atrasada com os relatos das viagens que temos feito. Há muito para contar, há sim, e agora que o ano começa, que aqui se gozam as férias grandes – há outra disponibilidade, portanto – vou-me esforçar muito para pôr os posts em dia.

Vamos então?