Month: March 2012

Challenges and struggles

Best start to my day #painting #acryliconcanvas

Best start to my day II #painting #acryliconcanvas

I´ve mentioned here (too many times?) that my main challenge for 2012 is to paint everyday. I´ve been painting portraits, so far (I, II, III, IV), and I´ve felt different and mixed feelings about the process. Because of their nature – being a portrait, the portrayed should be recognizable – there´s an inherent lack of spontaneity in the initial steps, when faces and features are laid on the canvas. This has made me feel – more than once, I´m afraid – that I don´t want to “mess it up” in later stages… and there goes spontaneity again.

This has been a latent struggle in the work, so today I decided to tackle it by using larger brushes instead of fine ones and by putting more colours at once. It was a small step, I think, but a good one. The joy of painting is here again.

When there´s no “instagraming”

Relaxing by the pool

Sometimes, there´s nothing like the good old pre-instagram days when the way to register something was to sketch it and the way to share it was not immediate.

I love sketching instead of photographing, specially when I´m travelling alone. It takes up a bit of time and it´s best not to feel there´s someone waiting for me to finish. Naps, for instance, are a wonderful opportunity.

See more sketches here.

Eyes, portraits and vulnerability

Today is all about eyes. #painting #acryliconcanvas

Today is all about eyes. Every new portrait starts with an outline of shapes and then slowly proceeds to the details. In portraits, little differences have an enormous effect on the outcome of expressions or even on the actual recognition of the depicted. That´s why mouths, noses but very specially eyes are what consumes the biggest portion of the time spent on the work. Today I worked and reworked eyes and found that, contrary to my belief, the thinnest brush isn´t my best friend. A small, but not ultra thin, works best.

Also, and not totally unrelated, watched today the second Ted Talk by Brené Brown (both very interesting). What I took out of it: “vulnerability is the birthplace of innovation and creativity”, as is so eloquently put.

The painting every day challenge is having an interesting effect: I start to feel that I´m doing the same thing over and over and keeping myself safe in my comfort zone. I´m feeling the need to risk more and feel vulnerable and unsure (as right now, writing this); I can honestly say this talk appeared in my life at just the right time (as it usually happens).

I´ll go back to drawing no. March´s issue of “We´re in Panama!” is coming together.

Ontem.

View from the future #communitygarden in #cascoantiguo #panamá

Ontem foi dia de actividade comunitária aqui por estas bandas: juntei-me a um grupo de pessoas que decidiram ir limpar um lote muito bonito – mas abandonado – do Casco Viejo para lá construir o primeiro jardim comunitário. Será coincidência praticamente todos serem estrangeiros?

Graffiti in Casco, neighbouring the future #communitygarden

O lugar é lindo, tem um campo de jogos ao lado e fica à beira da praia. Os grafiteiros fizeram um bom trabalho, deixando as paredes muito mais bonitas do que estavam (não é sarcasmo), mas o lote, em si, estava uma miséria. Entre lixo, pedras, ervas daninhas, preservativos, roupa interior suja (juro), roupa exterior igualmente suja, redes de pescadores e objectos não identificados (suspeitei de uma mina anti-pessoal, mas deve ser porque ando a ver demasiados filmes), o lote estava a precisar de mãos e de muito carinho. Não fosse localizar-se numa rua muito estreita, num bairro que é património mundial, seguramente já teria um prédio novo a nascer.

Graças a todos estes factores, lá fomos nós tratar do lugar. Quando cheguei, depois do almoço, já muito tinha sido feito. Mesmo assim, cortei muita erva, separei muito lixo e conheci gente nova. Para a semana há mais.

Thought I'd share I just used a machete. #panamá #communitygarden

O melhor? Usei um machete. Muito bom.

Building a new community garden in a reclaimed lot in Casco

View from the future #communitygarden in #cascoantiguo #panamá

Graffiti in Casco, neighbouring the future #communitygarden

Thought I'd share I just used a machete. #panamá #communitygarden

Yesterday was a fun day working with a group of volunteers to make a beautiful garden out of a prime spot, ocean view lot, unfortunately abandoned and filled with all kinds of trash.

I got to use a machete for the first time. Very empowering!

Boquete, Panamá

Já sei que para os leitores brasileiros deste blog o nome “boquete” significa outra coisa totalmente diferente. Mas para os efeitos deste post, Boquete é uma terra panamenha, na encosta do vulcão Barú, pertinho da fronteira com a Costa Rica. Encontra-se a 1600m acima do nível médio das águas do mar, o que significa que goza de um clima tropical de altura. Traduzindo, apesar do sol ser quente, as sombras são fresquinhas e a noite pede agasalho.

O caminho até lá leva cerca de 7 horas pelas estradas panamenhas. Apesar de longo, a paisagem é linda, sobretudo a partir da cidade de Santiago, porção em que somos acompanhados pela visão da cordilheira central, coberta de nuvens.

Devido às suas características climáticas e topográficas, em Boquete há morangos (todo o ano!), café de altura e muitas, muitas flores. Há trilhos na montanha, rios com quedas de água, escaladas, rafting e outras aventuras.

"Se Vende"

Queda de água, a recompensa pela caminhada

Ponte suspensa sobre o riacho

River uphill from Boquete

River uphill from Boquete

Uma família abastada chiricana (da província de Chiriquí, onde Boquete se situa) decidiu fazer um enorme jardim e abrir as suas portas ao público: Mi jardín es su jardín, aberto entre as 9 e as 16 e de entrada livre, é um jardim cuidado, com laguinhos e peixes, pontes, flamingos de plástico e piscinas com formatos estranhos. É imperdível, não só pelo fogo das buganvílias como também pelas casas, que podemos apreciar de fora. É incrível ser um jardim privado aberto ao público e tão, mas tão cuidado.

"Mi jardín es tu jardín" I

"Mi jardín es tu jardín" II

"Mi jardín es tu jardín" III

"Mi jardín es tu jardín" V

Também há a visita às lojas de morangos, onde se faz de tudo um pouco com esta fruta: batidos, gelados, iogurte, molhados em chocolate ou caramelo, morango split e outras variações que tais. E isto, caros leitores, todo o ano. Todo o ano! E doces! E deliciosos! Comi ao natural, claro está, para quê inventar quando o original já é o que é?

Visitámos uma quinta de café, a Finca Lérida, onde pudemos fazer a visita guiada e aprender muito sobre esta cultura. Nunca tinha visto a árvore do café, nem provado o sabor da fruta, à qual chamam “café cereja”. É doce, mas não deve ser comida. O café, o grão de café, é o caroço deste fruto. Desde a sua colheita até à chávena, vão várias etapas de processamento, de três tipos: natural, em que o grão seca dentro da polpa, tal qual foi apanhado; honey, em que o grão passa uma parte do tempo dentro da polpa; e lavado, em que é separado da casca e polpa logo ao início. Depois deste processamento, são comprados por distribuidores, que o torram, embalam e vendem.

Fruit and grain, fresh off the coffee tree

Prontos para a prova de café

Laboratório de café

IMG_7350

Horta de cheiros

Finalmente, a comida: em Boquete há uns quantos restaurantes altamente recomendados. Têm fama, e merecem-na: The Rock e Panamonte foram os visitados e em ambos comemos regiamente. O primeiro tem um ambiente muito acolhedor, com a sua lareira, iluminação e espaço fantástico; o segundo localiza-se numa casa antiga, também muito bonita e arranjada. Ficaram muitos por experimentar – da próxima vez será, que Boquete ficou na lista dos lugares a repetir.

De volta a casa, pelos caminhos do Panamá

(Mais fotos aqui.)

Finished!

Maias, finished

It´s finished! This is the portrait I mentioned previously as being challenging: it had noses (ahem, they´re tricky) and many faces. Still, it was a pleasure to work on it and see my two beautiful, sweet nieces come to “life”.

It´s acrylic on canvas, 90cm x 70cm (about 35.4in x 27.5in).

You can see process pictures here.

Não é não mas depois vai-se ver e talvez

Shopping downtown PTY #panamá

Esta é uma das retrosarias onde me costumo abastecer aqui no Panamá. É aquela em que, um certo dia, me obrigaram a trazer um saco plástico porque o dono não era ecologista. Podem ter agora a dúvida – justificada! – de porque é que continuo a lá ir e a resposta é muito simples: é que não há grande alternativa.

Quando comecei a fazer o quilt (já terminado, nem sei porque é que ainda não o mostrei aqui), notei que o meu x-acto de tecidos, uma jigajoga parecida com um cortador de pizza, era mauzito. Em vez de cortar, vincava, e não havia lâmina que cortasse, depois de experimentar todas.

Pus-me portanto à procura de um novo. Cá, curiosamente, a resposta é que tal coisa não existe. Não é que não têm, mas sim que não existe. Que não há, que não trazem e que não existe, e não há volta a dar. Não é não é não.

Ontem, fui lá de novo e casualmente fotografei a parede exterior da retrosaria, tematicamente decorada. Deve ter sido bem bonita em tempos que já lá vão, mas hoje está descascada, numa rua onde cheira a chichi e o lixo abunda.

O algodão, contudo, não engana: vejam lá que objecto está representado no canto superior direito, acima da fita métrica.

Sou só eu que vejo o tal objecto que não existe porque não há e não se fabrica?

Fridays are for making*

Yesterday #embroidery #abbrigate

And today #embroidery #abbrigate

These are some of the blankets I´ve been making to show (and sell) at the Bazar. It changed date and venue, so if you´re a local please save the date: March 28th (Wednesday), from 3.30pm to 9.30om, at Gran Salón Farallón, Marriott Courtyard hotel, located near the Multiplaza Shopping Mall.

Today, as all weekdays of 2012 so far, was also painting day. Soon I´ll show photos of this portrait – it´s a surprise for the recipients! I like how it has been challenging and so much fun at the same time.

Have a wonderful weekend, everyone!

*Just like Heather said.

Cada qual com seu amigo

Antes do concerto do @drexlerjorge

Há uns meses atrás, uma das actividades que a minha sobrinha mais velha fez com a outra tia emigrante foi a de escrever uma carta ao Pai Natal. Começou-a com, pasme-se, “Meu velho amigo Pai Natal”.

Pois é, decidi seguir o exemplo dela: meu velho amigo Jorge Drexler, na quinta-feira passada fomos ver-te no concerto que deste aqui no Ateneo da Ciudad del Saber, no Panamá. E foi tão bom. Entraste sozinho em palco, com as caixinhas de sons que pontapeaste e desligaste, encantaste-nos com a tua comunicação cantada com o público, chamaste colaboradores ocasionais para tocarem outros instrumentos. Enfim, vim de lá com a alma lavada, apesar das condições de som não terem sido as melhores.

E a temperatura, nossa, a temperatura. Num país onde se usa e abusa do ar condicionado, nós víamos-te a tirar casaco, arregaçar mangas, limpar a testa. E nós, na plateia, tirávamos casacos e arregaçávamos mangas, porque alguém se lembrou de desligar o ar, apesar da sala cheia e do país tropical.

Quando saímos, levezinhos e a flutuar de alegria, a noite estava fresca e levantou alguma pele de galinha.

Foi o fim de noite perfeito para o concerto que tão generosamente nos deste. Espero poder rever-te numa sala de espectáculos melhor, com melhores condições, mas já sei que um concerto teu é bom, seja onde e como for. Obrigada.

Last weekend

River uphill from Boquete

Buganvília

Fruit and grain, fresh off the coffee tree

Coffee tasting

Cerveza Panamá Lager

This weekend we took a break from the city and headed East, towards Boquete, a mountain and coffee region near the border with Costa Rica.

It was such a good weekend, full of fresh mountain air, the strongest and sharpest colours, flowers, strawberries, wonderful food. We even enjoyed the luxury of wearing long sleeves and sleeping with a duvet, something that turns out to be more important than one might think at first sight. And I survived the visit (mostly, the tasting part!) to a coffee estate.

We are already looking forward to going back.

(You can see more photos here).