De Istambul para o Panamá

Baklavas, directly from Istanbul

Baklavas, directly from Istanbul

Setembro e Outubro foram meses de muitas viagens de trabalho para o Príncipe, ao ponto de não conseguir chegar a desentupir os ouvidos entre descolagens e aterragens. Já estávamos os dois um pouco cansados da situação. O Príncipe, que já me conhece e sabe como me alegrar (comida, claro!), trouxe-me de uma das suas viagens – a Istambul, para ser mais precisa – uma caixa de baklavas deliciosos. Conta ele que foram embalados ainda quentes e selados em vácuo; no dia seguinte, chegaram ao Panamá, lindos, fantásticos, deliciosos e ainda estaladiços.

São diferentes dos que encontro cá; não sabem a água de rosas, mas são leves, levezinhos, e doces na medida certa.

Para mim, abrir esta caixa e encontrar um pequeno exército de baklavas de terracota, quero dizer, de massa filo, todos alinhados e lindos; pensar que cada um correspondia a largos minutos de prazer gastronómico… ah, foi maravilhoso.

E sim, Príncipe, a tua missão foi cumprida.

Join our community, start beautifying your life!

6 comments

  1. Anonymous says:

    Este post é cruel… o que eu gosto de baclavas… trouxe umas tããão boas da Grécia para a família há uns anos que ainda hoje são faladas. Hmmm….

    fungaga

  2. Anonymous says:

    Pois não sei o que é isso de baclavas mas que têm muito bom aspecto, lá isso…
    Bela surpresa, então! Ele há príncipes…
    Bjs
    M

  3. Bau says:

    Viva o Príncipe! Acho que andámos a fazer as nossa compras na mesma pastelaria, pois no ano passado regressei com uma caixa igualzinha a Londres. Eles lá, e se bem sei, também na Grécia, por vezes acompanham-nos com um tipo de nata fresca (não me recordo do nome) que fica tãooo bem. Nham!

  4. Ahimsa says:

    Para todos os que se questionam, por que é que há Rainhas Maléficas nas histórias de princesas… bem… este post explica graficamente… Inveja, meus amigos! Inveja!

    Príncipes (reais, ainda por cima como este) suscitam inveja aos corações mais generosos!!!

    E sim, não tenho quaisquer dúvidas que, em tempos, o princípe (o outro, o fantasiado) terá oferecido maçãs caramelizadas à Branca de Neve, quando regressou de uma caçada nos bosques dinamarqueses, por isso é que a coitadinha caiu na historieta da Rainha Malvada.

    Namasté!

  5. Billy says:

    M, podes provar na Calçada da Estrela. Há – ou havia – um restaurante do Médio Oriente (libanês?) do lado direito de quem desce para S. Bento. E tem baclavas, sissenhores.

    Bau, estes não vinham com kaimaki mas eu também não sou fã de natas, por isso comi-os assim e babei.

    Fungagá, a Ahimsa é que o disse bem: inveja!!! 😀 Mas pensa que aí tens castanhinhas assadas para o São Martinho. 🙂

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *

CommentLuv badge