Faces ocultas


No “El País” de Domingo, veio um artigo sobre o novo escândalo de corrupção em Portugal. Assim de repente já imagino as cabeças que se abanam num gesto de “não, este país é uma vergonha”. E, convenhamos, novo escândalo de corrupção não contribui para uma imagem muito positiva.

Contudo, vejamos o lado bom da história: a trama é investigada, chega à opinião pública e, se tudo correr bem, será processada pela máquina da justiça. Os protagonistas verão o seu nome associado a uma história suja e, se tiverem vergonha na cara, não voltam a brincar aos inimputáveis.

Já é mais do que se pode dizer sobre os casos que acontecem aqui na Argentina (e noutros países da América Latina), onde as redes de corrupção não são sequer tocadas.

E tenhamos presente que para cada corrupto activo tem de haver um corrupto passivo e que todos nós podemos escolher deixar de tolerar assumir este papel.

Join our community, start beautifying your life!

4 comments

  1. Bom, bom, bom…
    Desta vez, houve uma coisa interessante: um dos senhores envolvidos pediu a suspensão do mandato; para outros o tribunal obrigou e ainda há alguns a debater-se (se calhar, são mesmo inocentes…)
    A nossa experiência (caso Casa Pia, Freeport and so on) é que se fala muito disso, o tempo vai passando, o público vai esquecendo e quando chega ao julgamento pouco ou nada se prova. Mais uma montanha a parir um rato. É mais ou menos este o espírito com que encaramos estas coisas…
    De qualquer modo, tb acho que é melhor do que na A. S.
    Beijinhos
    M.

  2. alcinda leal says:

    Vamos ser optimistas e acreditar que sim!
    Há, de facto, algumas diferenças desta vez!
    Mas a justiça devia ser mais rápida e eficaz!
    E então os Camorra, conheces?
    Eu gostei de os ouvir.
    Bjs
    Tia Alcinda

  3. fungaga says:

    O pior é quando a corrupção passiva existe não por indiferença, mas porque dela depende o teu ordenado e o sustento da família…

    Sabes, acho que este pessoal nem achava que era corrupto. Simplesmente, achava que era sempre assim que se fazia e que estava acima da justiça. É fantástico que agora se levantem todas estas lebres, estaremos cá para ver os resultados. Será que, no fim, sobra alguém, nessas administrações duvidosas, para administrar?

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *

CommentLuv badge