Agora que descansei…

…aproveito para agradecer a todos os leitores do “Entre…” os comentários feitos ao abbrigate*. A verdade é que estamos muito contentes!

Agora que descansei, chegou também o momento de contar como foram as férias. Sim, coitadas das férias, onde é que elas já vão! Mas talvez por isso mesmo esta seja uma boa altura para lembrar esses dias de despreocupação horária e muita natureza.

Skiing in Ushuaia

Começámos por Ushuaia. Para quem não sabe, uma das condições no nosso imaginário contrato pré-nupcial foi a de que todos os anos teríamos uma semana de esqui. Eu tinha duas opções: ou ia, ou não ia. Ora eu comecei a esquiar em adulta, gente, já indo para osteoporótica, o que provocou em mim uma intensa onda de pânico que se vinha manifestando em forma de pesadelos sempre que pensava que a semana da neve estava para chegar. Enfim, insistia por uma questão de harmonia conjugal e também porque toda a gente me dizia que ao princípio custava, e isto e aquilo, e um dia, “quando menos esperasse”, eu ia gostar.

Ora isso aconteceu. Mesmo. E deu-se precisamente a meio da estadia no sul do mundo. Suponho que terá sido por uma combinação de factores, alguns inerentes ao Cerro Castor, a estância de esqui onde estivemos, outros que têm a ver com a minha progressão em cima dessas tábuas deslizantes.

Skiing in Ushuaia

Em primeiro lugar, as pistas são bem largas, o que permite a uma medricas como eu esquiar à vontade, dar as curvas tão abertas ou tão fechadas quanto se me ofereça no momento e não temer a cada instante que um esquiador mais veloz me passe por cima dos esquis (coisa que me aconteceu no passado, infelizmente mais do que uma vez. Medo.). Por alguma curiosa razão, há pouca gente. Ou então não, ou então só parece que há pouca gente. Porque ao almoço sempre tínhamos um pouquinho de acotovelamento para chegar ao matambrito. Nos meios de elevação não há filas, não há lutas para passar à frente, não há nada dessas coisas que os humanos fazem quando estão em grande número num pequeno espaço. Nada.

E tive uma instrutora espectacular. Ou melhor: es-pec-ta-cu-lar. A sério, fantástica: intercalou as aulas de técnica com as aulas de diversão e pôs-nos a esquiar em caminhitos, em neve não pisada, a dar saltinhos (eu! A dar saltinhos! Com esquis postos!), a esquiar à ré, enfim, tudo o que lhe passou pela cabeça. Foi uma delícia: pela primeira vez, senti que me dava permissão a mim própria para me divertir com aqueles apêndices naquelas botas ultra-desconfortáveis. Foi uma maravilha! Nos primeiros dias, contava à instrutora: “ontem o Paulo levou-me a uma pista assim e assado”. A meio da semana já a conversa era outra: “ontem levei o Paulo àquele caminho que nos mostraste e ele adorou!”.

My class!A turminha.

Skiing in UshuaiaEu, feliz, no dia em que esteve sol. E aí uns -15ºC.

Uma das alternativas para almoçar na montanha é levar merenda e ir a um dos refúgios que lá existem. O nosso preferido era o mais alto, mais extremo e mais perto do nada que era a outra encosta. Um dos dias tivemos esta simpática visita:

This little guy came to check out our lunch

No último dia, contudo, a surpresa relacionada com comida não foi tão agradável:

Cota 480 in Cerro Castor burningO restaurante Cota 480 ardeu completamente

Lá se foi o matambrito a la pizza do Paulo. E muitas outras coisas, muito mais valiosas, de muitas outras pessoas.

Ainda em matéria de comida, e voltando aos aspectos positivos, uma particularidade da cidade mais austral do mundo é que há muito peixe e marisco, contrariamente a Buenos Aires. Comemos centolla de mil maneiras, tal como os portugueses comem bacalhau de todas as formas e feitios. Tal era a saudade que tínhamos de marisco bom! No topo da lista:

Antes da intervenção…

…e depois da intervenção.

Depois deixámos Ushuaia para no dia seguinte embarcar em direcção a Lisboa. Mas isso fica para outro dia.

Mais fotografias aqui.

Join our community, start beautifying your life!

5 comments

  1. MAR says:

    Eu já estou a ver é a colecção de Inverno~/neve que vou usar lá para novembro/Dezembro;-))))… mais uns tenizitos que já conhecem os meus pesinhos do ano passado;-)…
    bjs grandes

  2. Billy says:

    Estão cá à tua espera! A vantagem de vires em Novembro/Dezembro é que vai ser… Verão! 😉 (apesar de no sul estar frio todo o ano, claro)

    Até breve!

  3. Será que, seguindo o teu exemplo, eu ainda escrevo algo sobre as minhas férias no Gerês?
    Apetecia-me, mas não tenho tido tempo…
    Neste momento, estou a fazer uma substituição, na sala de informática, e aproveito, dado que os alunos estão cada um em sua actividade e não me ligam nem um pouco.
    Francamente, até lhes agradeço… Estão mais ou menos silenciosos…
    Beijinhos

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *

CommentLuv badge