Festas e mais festas…

Uma das particularidades do Natal de uma emigrante – ou, pelo menos, do meu Natal – é o facto de as festividades começarem assim que se aterra em Lisboa. Não me refiro só aos jantares próprios da época, mas também ao reencontro com a família e os amigos e, especialmente, quem está em idade de mudar mais em poucos meses: a minha sobrinha.

E como eu gosto do Natal! A mesa está quase sempre posta, entra e sai gente a toda a hora, há muito chazinho, chocolate quente, bolinhos e biscoitos, a lareira acesa, uma maravilha!

Este ano o stresse das prendas foi evitado graças às opções minimalistas que tomámos (menos presentes, comprados ou feitos com antecedência). Em contrapartida, o que houve foi uma sucessão de serões agradáveis passados à volta da lareira (ou do aquecedor), a ocasional partida de scrabble e muito tricot.

A consoada teve uma ementa sui generis, com uma escolha muito particular de amêijoas e de polvo à Lagareiro, iguarias difíceis de encontrar em paragens mais austrais, por muito estranho que pareça num país com tanto mar.

Com bolinhos, biscoitos, muito aconchego da lareira, miminhos e abracinhos da família, passámos um Natal e preparámos as festas seguintes…

Join our community, start beautifying your life!

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *

CommentLuv badge