Jantar marroquino

Não dá. Não há post que faça verdadeira justiça ao magnífico jantar que a Ana preparou para a minha despedida, na sexta-feira passada. Não há como explicar a sucessão de sabores maravilhosos e exóticos sobre a mesa. O prato era pequeno para tanta coisa tão boa!

Começámos com os aperitivos.

Não, mentira, começámos com a sangria. Muito pouco marroquina, mas muito, muito boa. De marroquina tinha talvez as especiarias!

E depois, sim, os aperitivos, enquanto esperávamos a chegada de todos os convivas. E que aperitivos! Duas pastas para barrar no pão, em aspecto vagamente parecidas com o já velhinho Tulicreme, em sabor diametralmente opostas. Uma, vermelho bem vivo, com um aroma a cominhos de comer e chorar por mais; a outra, com uma percentagem significativa de sementes de sésamo na sua composição, tinha a capacidade de aderência (ao dente e ao palato) dos vendedores nocturnos de rosas. Apesar da semelhança, e contrariamente a estes, presumo, sabia bem.

Mas não se pense que tudo se esgota nos aperitivos, porque não! Finalmente desfez-se o suspense da semana quando a Ana nos chamou à sala para nos irmos servir. E o que estava em cima da mesa… ui! Para mim, o melhor foi o peixe. Aquele peixe… só não me fui servir de mais porque infelizmente já não dava! O couscous, as kefta (almôndegas de carne de vaca), a salada de iogurte e a outra, de aipo e maçã, a “pastilha”, massa folhada polvilhada com açúcar e canela e recheada de carne… que coisa absolutamente de sonho. Fiquei com pena de não ter levado recipiente para os restos.

Salvé, Ana, salvé a tua iniciativa, o teu gosto pela cozinha e o teu espírito exploratório e inventivo na criação de ementas para jantares! Alimenta as tuas cobaias, sim!

Ai… só suspiro… felizmente está para breve a tua visita a Buenos Aires!

A bela “pastilha” com açúcar e canela

Peixe espada com coentros e outras coisas boas que não identifiquei

A mesa, o prato e a minha barriga: todos pequenos para tanta coisa boa

Join our community, start beautifying your life!

2 comments

  1. A cozinheira says:

    Gosto sempre de elogios 🙂 mas há uma correcção a fazer – a pastilla era de amêndoas e não de carne!!!

  2. Billy says:

    Espero que o meu entusiasmo a falar da refeição possa compensar a incorrecção! (eu sabia que tinha de haver algum engano nos ingredientes mistério!)

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *

CommentLuv badge